Dia Municipal da Consciência Racial é celebrado com solenidade na CMU

Uma noite solene-cultural marcada por música, capoeira, mostra de arte, apresentações, homenagens e muita reflexão. Assim foi celebrado o Dia Municipal da Consciência Racial, em solenidade ocorrida na sexta-feira (23), promovida pela Câmara Municipal de Ubá (CMU) e a Associação de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade (AST), no plenário do Legislativo. A homenagem reforça o reconhecimento ao desempenho nas áreas em que essas pessoas atuam e pelo compromisso da igualdade racial e protagonismo nas ações de valorização da população negra 

Entre os convidados, autoridades e representantes de entidades culturais, educativas e de classe. A sessão foi presidida pela presidente da CMU, vereadora Rosângela Maria Alfenas de Andrade, e contou com a presença dos vereadores Edeir Pacheco da Costa, Antero Gomes de Aguiar, Gilson Fazolla Filgueiras, José Roberto Reis Filgueiras e Luís Carlos Teixeira Ribeiro.

Prestigiaram o evento o coordenador Geral da AST, José Felício de Oliveira, o prefeito de Ubá, Edson Teixeira Filho, a administradora do Fórum Desembargador Câncio Prazeres, Marli Estevan de Lana, representando o Poder Judiciário, o comandante do Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Minas Gerais, capitão PM Ivan Arrighi de Oliveira, representando o comando do 21º Batalhão de Polícia Militar, O diretor da Superintendência Regional de Ensino de Ubá, Samuel Gazolla Lima, e a diretora do campus Ubá da Universidade do Estado de Minas Gerais, professora Kelly da Silva.

A solenidade deste ano prestou homenagens a três personalidades de destaque no cenário cultural de nossa cidade: 

 

ü Aureliano Rocha Manoel (Mestre Nanim) – Mestre de Academia de Capoeira Garra Mineira; Coordenador do Projeto Viva Mais de educação, cultura e esporte junto a crianças, jovens e adultos dos bairros diversos ubaense.

ü Francisco da Silva (Mestre Chiquinho) – Mestre de Capoeira, Introdutor da Abadá Capoeira em Ubá e Região; Coordenador do Projeto Ginga na Comunidade, junto crianças, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social;

ü Maria Luiza Marcelino – Presidente da Associação Quilombola Namastê;

ü Padre Sebastião Jorge Corrêa - Ex-pároco da Paróquia do Divino Espírito Santo – Apoiador do Movimento Negro e demais movimentos sociais e sindicais de Ubá;

ü Tarcísio Ribeiro (Mestre Tarcísio) - Mestre do Grupo de Capoeira Senzala de Ubá; Mentor e coordenador do Projeto Crescer do SD (São Domingos).

A presidente da CMU, vereadora Rosângela Maria Alfenas de Andrade falou em nome do Poder Legislativo Ubaense. “Estamos honrados em realizar esta solenidade, levando-nos a refletir sobre o racismo e a certeza de que, para o seu fim, não basta mudar a política ou a economia. Para eliminar o racismo de uma sociedade, é preciso mudar sua cultura na difusão de outros valores e atitudes. Atitudes estas que a Associação Cultural de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade tem trabalhado em busca da conscientização da igualdade racial”, destacou.

No salão de entrada da Câmara estava exposta a mostra de arte dos alunos da Oficina de Pintura da AST. E para abrilhantar ainda mais o evento o hino do município de Ubá foi cantado pelos alunos da oficina de música da Escola Municipal Dr. Tânus Feres de Andrade, regido pelo maestro Wantuil Alexandre e acompanhado ao teclado pela musicista Tatiane Andrade e o flautista Alexandro Canedo.  A música Aquarela do Brasil de autoria do Ary Barroso foi executada por Wantuil e Tatiane.

O Dia Municipal da Consciência Racial, comemorado também em nível nacional no dia 20 de novembro, dia da morte de Zumbi dos Palmares, reforça a busca por ampliação de políticas afirmativas, igualdade de oportunidades e respeito pelo passado e presente do povo negro. Reconhecimento, empoderamento, negros e negras qualificados, igualdade de oportunidades.

O integrante da AST, José Flávio Expedito saudou aos presentes em nome da entidade lembrando a importância da data para a comunidade negra.

A LEI 
O dia Municipal da Consciência Racial originou-se do Projeto de Lei nº 37, de 1997, de autoria do vereador à época Dr. Fernando Antônio Fagundes Reis, juntamente com o vereador Paulo César Raymundo, sancionado pelo então Prefeito Narciso Paulo Michelli, que o transformou na Lei Municipal nº 2.736, de 2 de julho daquele ano. O intuito da lei é deixar registrada, como data cívica em nosso Município, o dia dedicado ao herói Zumbi dos Palmares e, assim, ressaltar a importância da difusão dos movimentos sociais populares, em especial os vinculados aos trabalhos da conscientização racial.

PALESTRA

O tema “Combate ao racismo para a construção da igualdade racial” foi ministrado em palestra por Denise Antônia de Paulo.  Natural de Belo Horizonte, Denise é militante do Movimento Negro, do Movimento de Mulheres Negras e da CONEN (Coordenação Nacional das Entidades Negras), foi gerente de Projetos de Ações Afirmativas da Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República; gerente de Políticas Sociais e Coordenadora da Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Belo Horizonte. Além destes, exerceu ainda o cargo de Gerente Hospitalar e diretora de Gestão de Pessoas da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais/FHEMIG.

Após a palestra a presidente da CMU, vereadora Rosângela Maria Alfenas de Andrade, entregou uma placa para a Denise em reconhecimento à sua especial participação. Em seguida, alunos da Oficina de Violão da Associação Cultura de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade, orientados pelo Professor Moacir Dias, apresentaram a música “Estudo Canção”, de Luciana Requião.

PREMIAÇÃO CONCURSO DE REDAÇÃO

No contexto da celebração do Dia Municipal da Consciência Racial, a Superintendência Regional de Ensino de Ubá, em parceria com a Associação Cultural de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade, realizou o seu 4º Concurso de Redação, que tem a finalidade de estimular a escrita e aguçar o senso crítico dos alunos em relação ao tema “Os desafios da juventude Negra, nos dias atuais”, dando a dimensão da importância ao debate sobre o combate ao preconceito e a discriminação racial em sala de aula e na sociedade. O concurso foi realizado no período de 1º de outubro a 1º de novembro deste ano, entre estudantes matriculados nas escolas estaduais de Ensino Fundamental de 6º ao 9º ano, e Ensino Médio Regular do município de Ubá. O concurso teve os seguintes representantes: Jefferson de Arruda Médice (1º lugar) aluno do 9º Ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Raul Soares e Diogo Vinícius de Meira Ferreira Oliveira aluno do 9º ano do Ensino Fundamental no Colégio Tiradentes. O estudante Jefferson de Arruda Médice leu a sua redação intitulada: “Racismo Contemporâneo”.

ENCERRAMENTO

Ao som de instrumentos de percussão e de berimbaus, um grupo animado jogava capoeira em frente à CMU. E a Bateria das Escolas de Samba São Domingos, Vila Casal e Unidos da Praça Ceus se apresentaram no encerramento da solenidade.

 

 

 

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados